Portugal Fashion atinge maioridade com promoção da 40.ª edição nacional
Portugal Fashion atinge maioridade com promoção da 40.ª edição nacional

O 40.º Portugal Fashion tem início em Lisboa, dia 22 de março, com a produção de quatro desfiles, prolongando-se no Porto entre os dias 23 e 25 do mesmo mês. Na invicta, o projeto que caminha já para o 22º ano de existência continua a dar mostras da maturidade atingida: consolida a autonomização da sua plataforma de jovens criadores, que na passada edição ousou experimentar um local e dia exclusivos no calendário; faz da Alfândega do Porto um palco privilegiado para acolher 17 desfiles e um showroom dedicado a agentes de compras nacionais e estrangeiros; e promove dois desfiles extraordinários, em locais inesperados e igualmente emblemáticos, materializando o conceito de dispersão e interação crescente da moda de autor com a cidade.  

Depois das passagens por Nova Iorque, Londres, Roma, Milão (duas edições) e Paris (duas edições), o Portugal Fashion regressa a Portugal para a apresentação das coleções outono/inverno 2017-2018, trazendo consigo as tendências organizativas internacionais, mas também a sua crescente ambição global. O ano que agora se inicia foi já identificado pelo projeto liderado pela ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários e pela ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal como o ano da consagração internacional. Ora, este desiderato vai muito além da participação nas principais semanas de moda do globo e do fomento da visibilidade dos designers e marcas através dessas mesmas plataformas. O Portugal Fashion pretende que também a semana de moda promovida dentro de portas seja uma montra com expressão cada vez mais internacional.

"Ao fim de 40 edições, e passados 21 anos desde o primeiro certame, o Portugal Fashion pode orgulhar-se de ter reunido os pressupostos que lhe permitem hoje reforçar o seu posicionamento e a sua visibilidade além-fronteiras”, afirma o presidente da ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários, Adelino Costa Matos. "A mudança de paradigma no setor têxtil e de vestuário ficou também a dever-se a uma subida na escala de valor em matéria de criatividade, design, branding, marketing e comunicação, áreas relativamente às quais as ações nacionais e internacionais do Portugal Fashion operaram conquistas efetivas. Diferentemente da primeira edição, onde as top models internacionais convidadas potenciaram a apresentação das coleções de criadores e marcas, a moda portuguesa e o dinamismo industrial do setor são, nesta 40.ª edição, atrativos suficientes para reunirmos no Porto e em Lisboa comitivas de imprensa especializada oriunda de diversos mercados (inclusive extracomunitários), agentes de compras e outros players internacionais de relevo para a afirmação crescente dos designers portugueses”, acrescenta o mesmo responsável.

Bloomers não escapam ao radar internacional

O projeto Bloom, criado pelo Portugal Fashion em 2010 com o intuito de apoiar, divulgar e valorizar, nacional e internacionalmente, jovens criadores portugueses está também ele alinhado nesta lógica de preparação para a promoção no exterior. A provar este facto está a recente presença de nomes saídos do Bloom em certames estrangeiros (em formato desfile e showroom) e a visibilidade conquistada na imprensa internacional pelos desfiles realizados dentro de portas. Nesta 40.ª edição, estão previstos 11 desfiles jovens criadores, três dos quais em estreia na plataforma: a marca Amorphous, de Carla Alves, Mariana Almeida e Nycole.

O Palácio dos CTT foi, pela segunda vez consecutiva, a location consagrada aos desfiles do Bloom. Aguarda-se, novamente, uma grande festa de cultura urbana, não apenas pelo ambiente alternativo do Palácio dos CTT, mas também porque, durante os intervalos dos desfiles, a animação ficará a cargo dos DJ sets de Alfredo, Maria e DJ KITTEN, a par de uma emissão especial assegurada pela Rádio Nova Era.

Quanto à moda de autor proposta por nomes consagrados, impõe-se destacar a apresentação das coleções de Pedro Pedro, Alexandra Moura e Alves/Gonçalves, alinhados no calendário do primeiro dia em Lisboa, onde há igualmente lugar para apresentar as propostas da marca TM Collection. Na Alfândega do Porto, depois da pausa para o dia Bloom, o Portugal Fashion redireciona os holofotes para os criadores consagrados, sem descurar a oportunidade concedida às principais marcas nacionais para apresentarem também as suas linhas comerciais perante o público do evento. Carlos Gil, Diogo Miranda, Luís Onofre, Nuno Baltazar, Anabela Baldaque e Miguel Vieira evidenciam-se entre os principais nomes da passerelle instalada na Alfândega do Porto. Quanto a marcas, Pé de Chumbo, Vicri, Ana Sousa, Dielmar e Lion of Porches compõem o lineup, que consagra também espaço para a apresentação de nomes emergentes como Carla Pontes, Estelita Mendonça e Susana Bettencourt.

Além de ser o epicentro do conceito criativo e cénico idealizado para a 40.ª edição do Portugal Fashion, a Alfândega do Porto aporta sinergias acrescidas para criadores e marcas por acolher, uma vez mais, o showroom Brand Up. Integrado na ação Next Step, programa de internacionalização da moda portuguesa promovido pela ANJE, o Brand Up vai expor coordenados, servindo assim de complemento à apresentação das coleções em passerelle. Os principais destinatários são agentes de compras portugueses e estrangeiros.

Complementarmente, Katty Xiomara e Luís Buchinho apropriam-se de dois edifícios emblemáticos do Porto, dando forma a outros tantos desfiles com localizações e formatos inesperados. Com estas ações, realizadas, respetivamente, ao início da tarde dos dias 24 e 25 de março, o Portugal Fashion prossegue com uma dinâmica organizativa de dispersão pela cidade, tal como sucede lá fora, nas grandes capitais da moda. Isto permite conjugar a expressão arquitetónica com a criatividade das coleções, aliando a oportunidade de acesso dos convidados a edifícios que nem sempre estão acessíveis ao público.

O Portugal Fashion 2015-2017 - um projeto da responsabilidade da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, desenvolvido em parceria com a ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal – é cofinanciado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização – Compete 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.