FacebookTwitterInstagram
PORTUGAL FASHION #45: QUATRO DIAS PARA MAIS TARDE RECORDAR
PORTUGAL FASHION #45: QUATRO DIAS PARA MAIS TARDE RECORDAR
De seis em meses voltamos à luta. É sabido por todos, entendido por muitos, mas vivido só por alguns. Nunca é fácil montar um evento da dimensão de um Portugal Fashion, são horas e horas de preparação, de planeamento, de discussões, de entendimentos, de noites mal dormidas, e dias a fio a pensar, e a desejar, sempre o mesmo: que seja a melhor edição de sempre. E, apesar de suspeitos, achamos que a edição #45 foi mesmo a melhor de sempre. Se não foi andou lá bastante perto.

Quatro dias de moda portuguesa. E esta é a melhor definição que podemos dar ao Portugal Fashion. Moda. Portuguesa. Moda de autor, moda de indústria. É moda, ponto. E é nesta junção, ou nesta união, que se encontram as nossas raízes. Porque uns sem os outros não vivem nem sobrevivem.

Nesta edição #45 do Portugal Fashion houve várias novidades. Um Brand Up com 80 marcas de Moda e Lifestyle assumidamente aberto à cidade, um palco que acolheu várias talks com convidados nacionais e internacionais, djs residentes e, pela primeira vez, com possibilidade de venda direta ao consumidor final.

Abrimo-nos ao Mundo porque a marca que carregamos no nome é Portugal. Um Portugal que não se fecha em fronteiras terrestres, que quase desafia a gravidade e se espalha pelos quatros cantos do Planeta. Um Portugal moderno, que respeita e acolhe todos em sua casa. E isso também são as nossas raízes.

Foram essas fundações que nos levaram a acolher, também em modo estreia, desfiles internacionais. No primeiro dia, o dia do BLOOM, com o desfile dos sete finalistas da Milano Moda Graduate SS20, iniciativa da Camera Nazionale della Moda Italiana para conferir visibilidade à criatividade dos melhores alunos das escolas de moda de Itália.

Já na passerelle principal, e reforçando a estratégia de internacionalização do Portugal Fashion, a marca Nicolas Lecourt Mansion, do jovem criador francês com o mesmo nome, encerrou o segundo dia.

O Portugal Fashion renovou-se ao chegar às quarenta e cinco edições. Mostrou-se mais sólido, mais criativo, mais capaz de respeitar e espalhar a mensagem da moda portuguesa, também ela mais madura e adulta, mais estruturada e combativa. Nessa missão de promoção da Moda portuguesa contou, uma vez mais, com parceiros como a ATP, o CENIT/ANIVEC, a APICCAPS, a AORP e a Associação ModaLisboa.
 
A renovação foi visível desde o primeiro dia, quarta-feira, com a apresentação de Katty Xiomara na Tipografia do Conto. No sábado, piscou o olho a Serralves, com o desfile inédito de Marques’Almeida nos icónicos jardins em frente à Casa de Serralves, mostrando há muito que o evento é um marco importantíssimo e paragem obrigatória nas Semanas de Moda mundiais.

Foram, ao todo, 30 desfiles e apresentações, e um presságio extraordinário: a estação quente em 2020 vai ser cheia de pinta! A moda portuguesa está de parabéns, o mundo agradece e nós, que carregamos Portugal no nome, tiramos-lhe o chapéu.