FacebookInstagramVimeo
ESAD
ESAD

FABIANA PEREIRA
POST-ITS

Post-its de Fabiana Pereira, representa uma pessoal e nostálgica reflexão sobre a existência. Após encontrar uma agenda deteriorada de 1987, pertencente ao seu avô, onde descobriu desenhos da sua infância, regressou ao passado. A um passado associado à inocência e à vida na aldeia, o que motivou uma reflexão sobre o presente tecnológico e inovador e sobre um futuro ainda por construir. A coleção apresentada tem como foco as sobreposições representativas da acumulação de vivências. Peças com volumetrias infantis reforçam referências associadas ao campo e os detalhes técnicos aproximam-nos de um futuro tecnológico. Pormenores da agenda, como as dobras das folhas rasgadas, transformam-se em machos e assimetrias nos acabamentos. Os desenhos influenciam os estampados e as cores associadas à infância, como o laranja presente nos post-its da agenda, utilizado em tecidos técnicos e com um toque de papel.


MARCELO ALMISCARADO
TORTO
"Torto” é o nome da coleção que se baseia nas deformações físicas causadas pela deficiência motora pé boto, comummente designada de pé torto. 
O tema é explorado metaforicamente numa narrativa fotográfica, que tem como base dois indivíduos. Reconhecendo nos seus corpos partes diferentes dos que os rodeiam, as personagens partem para uma reconstrução estética com base em materiais têxteis encarados como prótese. Os dois personagens acabam por criar uma relação de empatia, ao explorar novas volumetrias e combinações de materiais.
As silhuetas são trabalhadas de forma instintiva, mostrando assimetrias e deformações criadas através de elementos como elásticos, orifícios com cordões e velcros. As peças exteriores são realizadas com materiais técnicos e termocolados. 
Com o avançar da coleção surgem peças interiores, mais frágeis e delicadas, feitas numa estrutura larga de tafetá, criada através da técnica artesanal de tecelagem numa junção de vários fios de algodão multicoloridos. Desta forma, é explorada a simbologia da metamorfose entre o antigo, grosseiro e funcional e o novo, delicado e decorativo. 
O azul, o branco e o preto são as cores exteriores, em associação ao calçado ortopédico, que se revela pesado, pragmático e restritivo. O laranja, o lilás, o verde, o amarelo, o rosa e o branco são extraídos da narrativa fotográfica, numa tentativa de transporte do simbólico para o material.