FacebookInstagramVimeo
Miguel Vieira
DNA

A identidade visual é uma linguagem universal que define e molda as nossas vidas. O que vestimos reflete a nossa essência, fala por nós, diz ao mundo quem somos antes de qualquer outra coisa.

A história contada por Miguel Vieira, na coleção de Inverno 2022, é sobre pessoas que têm confiança na sua aparência e veem a sua roupa como uma extensão de si próprias, como algo que faz parte do seu ADN.

Estas pessoas marcantes têm o poder de serem elas próprias, de escaparem aos estereótipos e de usarem o que quiserem, quando quiserem. Para elas, o clássico pode ser moderno porque a sua atitude os torna irreverentes e únicos. Elas levam à libertação do estigma social que diz que temos de nos vestir de acordo com um género.

É importante descartar os rótulos impostos pela sociedade que nos limitam como indivíduos e começar a ver a fluidez do género como algo natural e resultado de uma livre escolha.

CORES: Azul medieval; verde inverno; castanho licor de café; cinzento nuvem; preto caviar; e branco trufa. SILHOUETTE: Contraste entre silhueta esguia e geométrica e silhueta clássica; linhas puras e estilizadas; e alfaiataria estruturada. MATERIAIS: Lã; caxemira; alpaca; pelo de ovelha falso; lurex; e tecidos para camisas. DETALHES: Estampagens desenvolvidas em atelier; e forro personalizado. ACESSÓRIOS: Botas de couro e botas altas; acessórios de couro; e colares de ouro, anéis e alianças de casamento.


Galeria de Imagens