FacebookInstagramVimeo
Storytailors

ALEXITHYMIA

CAPÍTULO II
Black Hills | O Monte das Pretas 

A dupla de criadores propõe Black Hills, uma coleção para ser descoberta na primavera, provada no verão, saboreada no outono e degustada no inverno. "Com a minha imaginação e memória como armas, imagino-me em modo missionário.”

ALEXITIMIA - A história de um contrabandista 

Na coleção anterior, The White Whidow’s Walk, os Storytailors apresentaram JD, um contrabandista de criatividade. Back Hills é o segundo capítulo de ALEXITIMIA – a sua história. Retomam o ponto onde ficaram na coleção anterior: o hiper-imaginativo JD desembarca em Portugal, embriagado pela luz e pelas ideias que traz para partilhar. JD é recebido por um amigo de sempre, que lhe apresenta Alex, uma possível cliente. Alex leva-o a Black Hills – O Monte das Pretas, uma casa de campo no Alentejo, com uma história inspiradora; aqui, as árvores nutrem a terra e quem lá vive. As suas raízes, as suas texturas, a sua essência. É no Monte das Pretas que JD descobre que Alex é híper-emotivo; na ausência da liberdade de poder imaginar livremente, Alex desenvolveu exponencialmente a sua sensibilidade, a ponto de conseguir sentir a natureza à sua volta e manter um diálogo sensorial com as árvores. JD fica fascinado; através da partilha da sua imaginação, tem acesso a um universo sensorial totalmente novo. O que vê e sente torna-se a porta para a primeira dimensão de um caleidoscópio infinito, a primeira peça de um puzzle interminável. Desenvolve-se uma ligação forte entre Alex e JD, que promete levá-lo a conhecer New Bedford, e a "Caminhada da Viúva Branca” – juntos voariam alto – o céu é o limite!

Fala-se de países onde a imaginação passou a ser taxada por oposição a outros onde criar ainda é livre. Fala-se de um tempo em que o ser humano oscila ao longo da sua vida entre ser homem e ser mulher. Fala-se de JD, um híper imaginativo que aprende a sentir através da partilha da sua criatividade e das emoções que desperta nos outros; esse vício leva-o a trocar as suas sinfonias de imagens mentais por emoções, com quem não pode criar as suas próprias imagens sem pagar uma taxa... e da híper-emotiva Alex.

E fala-se de moda e de peças de vestuário, de formas inconvencionais de criá-las e de construir visuais, de transformabilidade, de liberdade criativa e interpretativa, de emoções, de expressão e partilha. A arte alia-se à tecnologia para dar forma à maioria das peças através do minucioso corte laser, seguindo-se uma cuidada montagem. Propõem padrões desenvolvidos a partir da textura de árvores endémicas do Alentejo, e materiais que podem despertar uma multiplicidade de ideias e sensações. Propõem sobreposições de camadas que transformam a silhueta. Cortiça, algodão, gabardine, cetim, georgette, tule. Texturas, cortes e motivos aplicados que sugerem madeira, flores, raízes, fungos e formas orgânicas. Matérias-primas tradicionais portuguesas e materiais e acabamentos tecnológicos.

CORES

A paleta de cores e os motivos desta coleção são sugeridos pelas árvores, das raízes ao tronco aos ramos, saídos da madeira e passando pelo contacto com o solo e as texturas que as revestem. Cinzas de madeira branqueada pelo sol, o tom quente de sobreiros e eucaliptos, vermelhos, rosas, amarelos, motivos e símbolos delicados.

PALAVRAS-CHAVE E EXPRESSÕES

Árvore/madeira/raízes; os quatro elementos; imaginação/emoções; sobreposições; sonhar/sentir; Arte e Ciência de mãos dadas; raciocínio/intuição; desafiar a convenção; delicadeza/força; descobrir(-se).