FacebookInstagramVimeo
Hugo Costa
MAYBE WE'LL BE TOGETHER AGAIN

Falta de liberdade, divisões, barreiras impostas, reencontros e ligações emocionais. Cinco pontos fundamentais que inspiraram Hugo Costa para a sua coleção outono-inverno 2019/2020. 

"O que é que fica quando as barreiras nos impedem de caminhar? Em que é que nos tornamos quando o mundo fica mais violento e o ódio cresce a cada dia que passa? Como nos respeitamos se estamos cada vez mais distantes uns dos outros?”, questiona.

A coleção de Hugo Costa pretende fazer uma reflexão sobre as liberdades cortadas, os muros que se levantam e o crescendo das atitudes extremadas. "Há uma distância física que vai enfraquecendo as relações emocionais e sentimentais entre as pessoas”, diz, acrescentando que as "atitudes levadas ao extremo e que seguem em crescendo” dificultam a interação. 

Há um jogo de sentimentos nas cores usadas por Hugo Costa. Se ao preto, cinza e verde seco talvez vá buscar o lado mais duro e seco da sua coleção, no bege, bordeaux e rosa talvez se encontre o lado mais "amor”.

Nos tecidos, Hugo recorre ao denim, aos tecidos de aspeto austero e a alguns (poucos) tecidos técnicos. Há predominância dos clássicos dos anos 70 e 80 nas silhuetas.

Hugo Costa lança uma pergunta final. Uma provocação que pretende fazer pensar: "O que é que fica quando o sonho se vai, para além deste presente que é tão severo”?