FacebookInstagramVimeo
Hugo Costa
Hugo Costa regressa à capital francesa em calendário oficial de apresentações com a coleção Haenyeo, inspirado nas mulheres sul-coreanas que mergulham em apneia e garantem o sustento familiar. 

"Numa altura em que tanto se fala de igualdade pareceu-me pertinente reforçar a inversão de papéis”, diz Hugo Costa. 

As Haenyeo são uma das forças da natureza. Mulheres guerreiras, de fibra, que mergulham diariamente em busca de alimentos para a sua família. Mulheres do mar da Ilha de Jeju, na Coreia do Sul, que mantêm uma tradição secular. Num trabalho difícil e perigoso que executam até aos 90 anos. Os homens ficam em casa a cuidar das crianças, a não ser que arranjem trabalho na China, Japão ou Rússia. 

Hugo Costa é um designer de convicções fortes que dispensa o género na roupa que desenha. É, também, designer de temas difíceis e fracturantes. "É assim que a moda faz sentido, o chamar a atenção, o tirar da zona de conforto, aproximando da pessoa comum uma realidade desconhecida, transportando-a para mais perto e, logo, mais real”, diz. "É como vestir um bocado de história”, acrescenta.

A nova coleção de Hugo Costa é inspirada na vida que é também uma arte de gerações, e que se reforça em cores vibrantes e fortes, com texturas clássicas em contraposição a alguns tecidos tecnológicos, como o impermeável e rede 3D, e muitos detalhes amovíveis.

"São tecidos fáceis e confortáveis de usar, com uma boa capacidade de adaptação ao mundo que corre com pressa, e ao dia-a-dia”, explica Hugo.

Depois de Milão, e com a nova paragem na capital francesa, o Portugal Fashion reforça o seu trabalho de alavancar a moda nacional, levando nomes portugueses aos calendários das principais capitais de moda internacionais.