FacebookInstagramVimeo
Maria Gambina

Gambina F.C. tem como referência o documentário Novos Baianos Futebol Clube (1973), realizado por Solano Ribeiro.

Materializa o encontro entre futebol e música numa atitude disruptiva mas sofisticada.

Sempre à procura de detalhes de construção, Gambina retira encaixes utilizados em camisolas de futebol de clubes brasileiros da época, deixando mostrar o corpo. Constrói riscas gráficas por sobreposição de materiais, joga com mistura de padrões, brinca com estampados de emblemas de clubes e frases do disco Acabou Chorare, dos Novos Baianos, editado em 1972 pela Som Livre.

A silhueta é dominantemente reta mas torna-se dinâmica com machos, pregas e plissados em camadas que nos remetem para "outros” baianos, os Doces Bárbaros.

Peças em macramé evocam a identidade da banda, o sentido de liberdade e comunidade, paz e comunhão com a natureza.

"Vou mostrando como sou
E vou sendo como posso,
Jogando meu corpo no mundo,
Andando por todos os cantos
E pela lei natural dos encontros
Eu deixo e recebo um tanto…"

 

Cores: Branco, Cru, Preto, Rosa, Vermelho, Roxo, Amarelo e Verde Menta.
Materiais sustentáveis (TINTEX), denims (TROFICOLOR) e naturais (LEMAR)
Calçado: BIRKENSTOCK