FacebookTwitterInstagramVimeoPinterest
Descubra os vencedores do Concurso Bloom
Descubra os vencedores do Concurso Bloom

Amorphous (Carla Alves), Inês Maia, Sara Marques e David Catalan são os quatro vencedores do grupo de oito finalistas do Concurso Bloom 2015, anunciados após o desfile conjunto que decorreu na passerelle consignada aos jovens designers na 38ª edição do Portugal Fashion. Estes jovens criadores vão poder agora voltar a apresentar e divulgar o seu trabalho no espaço Bloom durante as duas próximas edições, contando para isso com um conjunto de apoios de ordem financeira, técnica, promocional e estratégica, que visam não apenas suportar o desenvolvimento das suas coleções mas também a estruturação profissional das respetivas atividades.

Carla Alves, a primeira classificada do Concurso Bloom, surpreendeu os jurados com a apresentação da coleção "M001 Cesura”, sob a insígnia da marca Amorphous. De acordo com a vencedora, esta coleção traduz-se num manifesto que evoca "a clarividência do aspeto primário e máximo à condição vital humana, a liberdade de escolha, a libertação dos estigmas sociais e morais instaurados que forçam vidas a subsistirem em condições desumanas sob pena de exclusão e punição de várias ordens”. Especificamente, os coordenados da jovem designer, que já estagiou no atelier de Alexandra Moura, procuravam evidenciar uma problemática: a mutilação genital feminina, que ainda hoje subsiste em algumas culturas.

Licenciada em Design de Moda pela ESAD Matosinhos, Inês Maia, a segunda classificada da competição, apresentou na passerelle a coleção "Scadenfeuer”, ou fogo hostil. Com uma estética associada à música, o nome provém de Mein Herz Brennt, banda sonora de uma coleção pautada por sobreposições, frentes duplas e termocolagem. Nas cores predominaram tons neutros e crus; brancos, pretos, cinzas e bege. Já as peças contaram com reminiscências do homem nómada.

Em terceiro lugar, Sara Marques, que no Portugal Fashion Celebration já havia integrado o desfile coletivo da ESAD, captou o interesse do júri com uma coleção sofisticada, com forte inspiração no ténis e na época dos anos 20, tendo como protagonista a tenista Suzanne Lendgen. Como descreve a jovem designer "dentro de campo [Lendgen] era considerada uma leoa pois tinha uma atitude agressiva, mas livre ao mesmo tempo”. Foi, portanto, tomando como ponto de partida esta personalidade que a coleção ganhou vida, privilegiando silhuetas retas e alongadas. Quanto às matérias-primas, que estabeleceram o paralelismo com a personalidade so­fisticada e elegante da tenista, evidenciaram-se as transparências, as malhas delicadas e os plissados, assim como os detalhes e acessórios. Nas cores, destaque para os tons cinza, o tom creme, o bordeaux e os verdes nos detalhes.

Em quarto lugar na classificação e também com acesso à rede de apoio para a apresentação das coleções no espaço Bloom do Portugal Fashion em outubro de 2016 e março de 2017, David Catalan lançou uma coleção que reinterpreta duas culturas urbanas, entre o movimento Suedhead, reminiscente do início do movimento Skinhead londrino e o movimento urbano que surgia em Londres nos anos 70. Há na coleção cortes rígidos, quase de alfaiataria, que se contrapõem com cortes fluídos e oversized, com um estilo baggy. Como explicou o designer: "através da paleta de cores, somos rapidamente levados por uma viagem pelo imaginário da cultura musical londrina nesta década”, que nomeia a banda The Who, como uma das mais marcantes da época.

Recorde-se que desde 2004 o Portugal Fashion impulsiona e dá palco aos projetos de jovens designers, tendo sido impulsionador de nomes como Filipe Trindade, Pedro Pinto, Diogo Miranda, Carla Pontes, Susana Bettencourt ou Hugo Costa. Por seu turno, a plataforma Bloom, que só surgiu oficialmente em 2010, já viabilizou o lançamento de 34 jovens designers no mercado, pontificando muitos destes nomes anualmente no calendário principal do Portugal Fashion.

O Concurso Bloom torna-se assim noutro marco importante na história do evento, ao capacitar jovens criadores de todas as ferramentas necessárias que lhes permitem, autonomamente mas com uma rede de apoio de retaguarda, trilhar o seu caminho no universo da moda. Nesta 38ª edição do Portugal Fashion mais quatro nomes a acompanhar: Amorphous, (Carla Alves), Inês Maia, Sara Marques e David Catalan.