FacebookInstagramVimeo
ECODESIGN – EMOTION TALKS: SUSTENTABILIDADE, CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO NO DESIGN DE MODA
ECODESIGN – EMOTION TALKS: SUSTENTABILIDADE, CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO NO DESIGN DE MODA
A 1ª edição das Ecodesign - Emotion Talks nas Portugal Fashion Sessions - Famalicão Cidade Têxtil contou com workshops e painéis constituídos por personalidades da indústria da moda, onde foram debatidos temas como a sustentabilidade e sua importância no mundo laboral, de que forma a pandemia afetou o mundo da moda, as influências do digital, o papel do designer na confeção de um produto, entre outros.

O primeiro painel Ecodesign- Emotion talks teve Braz Costa (CITEVE) como orador de abertura da sessão, passando a palavra mais tarde a Giusy Bettoni (CEO C.L.A.S.S). Giusy apresentou um CLASS Workshop ‘’What’s sustainable fashion?’’. Partindo do conceito quadridimensional da moda sustentável, foi abordada a integração do design e inovação com sustentabilidade, mas também da capacidade que a moda sustentável deverá ter para compartilhar esses valores com uma nova geração de consumidores.

Giusy Bettoni regressou a palco para debater o tema ‘’ Post-Pandemic fashion? Let’s not waste this crisis!’’, onde definiu quatro keywords necessárias para o bom funcionamento da indústria da moda: ferramenta digital, colaboradores, transparência interligada com os direitos humanos e sustentabilidade. O digital foi abordado como uma ferramenta indispensável que não só encurta distâncias, como também facilita a venda, o transporte, a manipulação e a personalização dos produtos.

Sustainability has gone mainstream

O primeiro painel incluiu quatro membros do CITEVE: Ana Tavares, João Oliveira, Carla Silva e José Morgado, e como moderador Raúl Fangueiro da FIBRENAMICS. Destacando algumas das intervenções, a começar pela de Ana Tavares, Coordinator of Strategic Agenda for Sustainability and Circular Economy (CITEVE), a oradora defendeu que a sustentabilidade deve deixar de ser uma estratégia e passar a ser um dado adquirido, e reconheceu que Portugal é um dos países que mais aposta na inovação dos materiais. 

Já para João Oliveira, Director of the Digital Transition Department (CITEVE), ‘’assim como os produtos passam de empresa para empresa pelas estradas, a informação desses produtos tem que passar de empresa para empresa pelas estradas digitais’’. 

Por outro lado, Carla Silva, Director of the Chemical and Biotechnology Department (CITEVE) abordou a necessidade de ter noções sobre as várias fases do produto tais como gastos de água excessivo, bem como trocar os processos convencionais por processos mais inovadores e sustentáveis. Para a oradora, é possível optar por métodos mais amigos do ambiente que conferem os mesmos resultados.

Por fim, destaca-se a intervenção de José Morgado, Director of the Technology and Engineering Department (CITEVE), em que afirmou ser fulcral aliarmos a funcionalidade com a sustentabilidade e defende o desenvolvimento de processos que minimizem a obtenção de lixo. O orador acrescentou ainda que é importante ‘’não pensarmos nestes projetos a nível laboratorial, mas sim projetos a nível industrial’’.

The Power of Creatives

A terminar as Emotion Talks, organizou-se um painel constituído por grandes nomes no mundo da moda, nomeadamente: Ana Coelho da Sonae Fashion, os designers de moda Inês Torcato e Gonçalo Peixoto, e ainda Paulo Gomes da Manifesto Moda. Já a moderação, ficou a cargo de Ana Tavares (CITEVE). Alguns assuntos como a visão e os ideais do mundo da moda, o poder criativo e os vários fatores o influenciam, serviram de temas para esta conversa.

Primeiramente, destaca-se a intervenção de Ana Coelho (Sonae Fashion) que falou acerca da organização que representa e como a Sonae Fashion tem, com pequenos passos, alcançado o objetivo de tornar os produtos cada vez mais sustentáveis, quer a nível de matérias-primas, quer a nível do respetivo embalamento. Abordou ainda a importância do designer numa empresa e da sua presença em todas as fases da produção.

‘’A transparência é algo muito importante no meio do Ecodesign’’, disse Inês Torcato. A designer afirmou que aposta em fornecedores nacionais uma vez que acredita ser mais amiga do ambiente ao evitar transportes, os principais responsáveis pela emissão de CO2. Para além de defender a responsabilidade ambiental, Inês transmitiu ainda uma mensagem de consciência social, como defensora dos direitos humanos e etnias. 

Já para Gonçalo Peixoto, o digital é uma aproximação com o público, que cria ligações fortes entre o designer e o seu público-alvo. O designer defendeu também que as redes sociais desempenham um papel muito importante na comunicação a qualquer nível e que são um palco para se manter em contacto com a audiência.   

Por último, Paulo Gomes da Manifesto Moda, reconheceu que a oferta a nível de sustentabilidade é muito maior, mas que não deve ser vista apenas como uma moda. Para o orador, é crucial que "a sustentabilidade não seja o novo preto no sistema da moda’’. Mais do que uma moda, é um conceito muito complexo e amplo, que requer muito estudo e uma grande diversidade de profissionais ligados a inúmeras áreas para alcançar a melhor solução.