FacebookTwitterInstagramVimeoPinterest
O lado experimental do Bloom
O lado experimental do Bloom
Em conversa no programa da SIC Mulher "Faz Sentido”, Miguel Flor, coordenador da plataforma BLOOM Portugal Fashion, destacou a 37.ª edição do certame pela descoberta e afirmação de jovens criadores. Recorde-se que nesta edição a plataforma, que celebrou o seu quinto aniversário, contou com a participação de seis jovens designers, três marcas de jovens designers e três escolas de moda.

Miguel Flor, responsável pela coordenação do espaço Bloom, não tem dúvidas em interpretar o projeto como "uma plataforma que respeita a experimentalidade”, proporcionando aos criadores do futuro uma aprendizagem ao nível "laboratorial”. O designer acrescentou ainda que "acompanhar o seu crescimento e evolução” é, para o próprio, um processo de aprendizagem e, até, de rejuvenescimento.

A internacionalização do Portugal Fashion foi outro dos assuntos abordados durante a conversa, na qual também participou a dupla de jovens criadores HIBU. Considerando a indústria da moda como altamente competitiva, Miguel Flor acredita que a aposta da iniciativa em explorar novos mercados externos e em posicionar, cada vez mais afincadamente, a moda portuguesa nos grandes certames internacionais traduz-se como fundamental para a sobrevivência dos criadores que, rapidamente, esgotam oportunidades no mercado nacional.

Traduzido para português, Bloom significa, florescer, dar flor, resplandecer… E foi com este espírito de incubação que o professor de moda e criador Miguel Flor assumiu a coordenação do projeto Bloom, sendo também o responsável pela seleção dos designers, pelo apoio na estruturação dos seus coordenados e pela conceção dos desfiles. Aliás, nesta edição edição de Bloom integrada na programação do Portugal Fashion, registou-se a participação de dois novos jovens criadores: Inês Marques e Tiago Silva, este representado pela sua marca [UN]T.

Para visualizar a entrevista completa e o testemunho dos jovens criadores da marca HIBU, clique aqui.