FacebookTwitterInstagramVimeoPinterest
O Verão do Portugal Fashion aquece Lisboa e Porto  com mais de 30 desfiles em seis locais diferentes
O Verão do Portugal Fashion aquece Lisboa e Porto com mais de 30 desfiles em seis locais diferentes

Passou por Nova Iorque, Londres, Milão e Paris, para agora estar de regresso a solo nacional: o Portugal Fashion revelou as tendências para a próxima estação quente em Lisboa (14 de outubro) e no Porto (19, 20 e 21 de outubro), com mais de 30 desfiles em quatro dias, distribuídos por seis espaços diferentes. Moda de autor, criações de jovens designers, pronto-a-vestir, alta-costura, alfaiataria e calçado foram os elementos desta celebração da moda portuguesa, na qual participaram cerca de 25 mil pessoas. 


Em Lisboa com programa reforçado


Foi com um programa de desfiles reforçado em quantidade e qualidade que o Portugal Fashion cumpriu a habitual etapa inaugural em Lisboa, no dia 14 de outubro. Nesta 41.ª edição do evento, houve claramente a intenção de valorizar o programa de desfiles em Lisboa e de dar maior dimensão à abertura do evento. 

"Para nós, Lisboa não é um mero ponto de passagem do evento. O Portugal Fashion tem de facto interesse, vontade e gosto em apresentar as coleções de criadores e marcas na capital do país”, salienta Adelino Costa Matos, presidente da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários. "O circuito de desfiles do Portugal Fashion passa pelas grandes capitais da moda, como Londres, Paris, Milão e Nova Iorque. Não fazia por isso sentido que, à escala nacional, não se verificasse uma presença forte do evento tanto no Porto como em Lisboa, cidade com grande dinâmica de moda e cada vez mais cosmopolita”, acrescenta o mesmo responsável. "Lisboa é uma etapa estratégica do nosso roteiro de moda e, como tal, decidimos realizar os desfiles num sábado e com nomes de peso”.

O arranque desta edição coube aos Storytailors, que revelaram a sua nova coleção, "Palindrome”. O bar Rive-Rouge, no Mercado da Ribeira, serviu de cenário à apresentação da dupla João Branco e Luís Sanchez, em formato fashion show performance. 

Mais tarde, o Armazém 16, na zona ribeirinha lisboeta do Braço de Prata, foi palco de cinco desfiles que ajudaram a definir as tendências primavera/verão 2018: Pedro Pedro, TM Collection by Teresa Martins, Carlos Gil, Luís Onofre e Alves/Gonçalves. 


Das semanas de moda internacionais para a Invicta, sem esquecer o Bloom

Como sempre, o calendário oficial do Portugal Fashion foi espelho da enorme variedade dos seus designers. O primeiro dia do evento no Porto foi inteiramente dedicado à plataforma Bloom. O Museu do Carro Elétrico foi o palco dos jovens talentos nacionais, como Inês Torcato, David Catalán, Olimpia Davide e Beatriz Bettencourt, que sempre contribuem para a frescura e variedade da indústria da moda. "Foi uma edição do Portugal Fashion com propostas bastante diversificadas, desde a moda de autor às linhas mais comerciais da indústria de vestuário, sem esquecer a irreverência dos jovens criadores. Esta heterogeneidade dos desfiles reflete o dinamismo, versatilidade e modernidade da moda portuguesa e da fileira têxtil, que continuam a somar êxitos internacionais quer em termos de notoriedade em passerelle, quer em termos de exportações”, realça Adelino Costa Matos.

Nesta 41º edição, brilharam também prestigiados criadores que recentemente passaram pelas mais importantes semanas de moda internacionais, com o apoio do Portugal Fashion e da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, reforçando assim a notoriedade do evento: "Esta edição do Portugal Fashion teve o atrativo suplementar de dar a ver, primeiro em Lisboa e depois no Porto, os desfiles de criadores que, no arranque da estação, estiveram em destaque nas grandes capitais da moda: Londres, Milão, Nova Iorque e Paris. Foi de facto uma oportunidade ímpar assistir aos desfiles de Alexandra Moura, Hugo Costa, Katty Xiomara e Miguel Vieira, depois do sucesso que conheceram em grandes passerelles internacionais”, acrescenta o presidente da ANJE.

Depois de um dia exclusivamente dedicado a jovens criadores e estudantes de moda, o Portugal Fashion iniciou uma maratona de desfiles na Alfândega do Porto, onde foram apresentadas oito coleções para a estação quente. Neste 3.º dia do evento destacaram-se, desde logo, os desfiles dos criadores emergentes Carla Pontes, Estelita Mendonça, Hugo Costa e Susana Bettencourt.  

Carla Pontes explora volumes, cores e detalhes numa coleção com influências étnicas. Já Estelita Mendonça surpreendeu com as suas propostas arrojadas e marcadamente urbanas, enquanto na nova coleção de Susana Bettencourt sobressaem as referências aos uniformes de aviação dos anos 70. Hugo Costa inspirou-se no povo nómada Moken (Arquipélago de Mergui) para criar uma linha minimalista, de cores garridas.

A passerelle do 3.º dia de Portugal Fashion abriu-se também a criadores consagrados. Com a coleção "Mobil(ize) II”, Júlio Torcato mistura o corte da alfaiataria clássica com os materiais do universo desportivo. A partir do tafetá de seda, Diogo Miranda criou mangas exageradas, folhos, laços volumosos e decotes para a estação quente. Intitulada "7 mulheres mais 1”, a mais recente coleção de Anabela Baldaque distingue-se pelos estampados, cortes inesperados e silhuetas longas. A comemorar 30 anos de carreira, Miguel Vieira explora os jogos de volume entre peças slim e oversized, com um toque desportivo.

No último dia de desfiles, logo pela manhã, Katty Xiomara surpreendeu com um desfile que combinou moda com street art. O local do desfile não podia ser mais inusitado: o Antigo Matadouro Industrial do Porto, que deverá ser convertido em Museu da Indústria, com uma valência dedicada à arte contemporânea. Foi neste cenário austero e decrépito que a criadora nos trouxe uma coleção inspirada numa estranha viagem - um paraquedas, levado pela brisa caribenha, aterra no revivalismo art déco de Miami Beach dos anos 60. "Parachute Trip” é feita de formas soltas, simples e despojadas de estética sixties, as quais marcaram, sem dúvida, o desfile de Katty Xiomara.   

Num outro espaço, também ele inédito nas edições do Portugal Fashion, o Cais Novo, na Ribeira, Luís Buchinho revelou uma coleção de forte influência desportiva. O verão do consagrado criador do Porto adivinha-se leve, com estampados expressivos que desenham silhuetas soltas e longas. Avultam os tons claros (pastel-verde água, rosa pele e azuis aguados), com algumas notas de cores vivas e quentes (morango e coral). Há ainda toques gráficos de preto, branco e amarelo flúor. Os padrões decorativos dos anos 60-70, reinterpretados livremente, são elementos fortes da coleção. 
De regresso à Alfândega do Porto, Nuno Baltazar impressionou com a extrema elegância e requinte da sua nova coleção. Detalhes subtis e românticos num registo high-tech definem as propostas de Alexandra Moura, a criadora que se destacou no programa de desfiles de sábado. Inspirada na deterioração dos interiores de palácios portugueses do século XVIII, bem como em peças de vestuário dessa época, a coleção "Within the time within” tem formas marcantes, por vezes oversized, por vezes ajustadas, que criam opostos na silhueta e se conjugam com atilhos e bolsos para criar statement looks com apontamentos fortes e icónicos de outros tempos.

Na reta final do 41.º Portugal Fashion, a Pé de Chumbo apresentou uma coleção onde impera o estilo casual e descontraído da marca, mas com uma aura clássica. Depois da estreia na edição anterior do evento, Micaela Oliveira regressou ao Portugal Fashion com mais uma luxuosa coleção de alta-costura, que não deixou ninguém indiferente. Destaque ainda para as linhas comerciais de marcas de pronto-a-vestir e calçado. Pé de Chumbo, Lion of Porches e Ana Sousa mostraram a vitalidade, modernidade e dimensão internacional da confeção "made in Portugal”. Também a Dielmar exibiu a excelência do nosso vestuário, com a particularidade de se dedicar à alta alfaiataria. Num desfile com o apoio da associação empresarial do setor, a APICCAPS, as marcas Ambitious, Dkode, Fly London, J. Reinaldo, Nobrand e Rufel traduziram nas suas coleções a qualidade e sofisticação do calçado português.

O Portugal Fashion 2015-2017 – um projeto da responsabilidade da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, desenvolvido em parceria com a ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal – é cofinanciado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização – Compete 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.