FacebookTwitterInstagramVimeoPinterest
Portugal Fashion lança nova identidade visual
Portugal Fashion lança nova identidade visual

Foi uma edição especial. O Portugal Fashion apresentou na 39ª edição uma nova imagem, espelhando o reposicionamento da marca. Uma marca que absorve Mundo, Moda e novas Passerelles. Mais cosmopolita, contemporânea e internacional.

Próximo de comemorar 40 edições, o Portugal Fashion estreou na 39ª edição nacional uma nova identidade gráfica. O rebranding é da autoria da agência Creation, que com o novo logotipo e o novo símbolo imprimiu à marca a essência global que lhe é intrínseca, algo que o projeto já não revia na anterior imagem.

Na verdade, o mais internacional projeto de moda nacional começou o seu percurso há 21 anos, numa noite de desfiles no Porto, na sede nacional da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, entidade promotora do certame (hoje o Portugal Fashion é realizado em parceria com a ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal). Nesse ano de 1995, o projeto reuniu uma constelação de top-models, como Claudia Schiffer, Elle Macpherson, Linda Evangelista, Carla Bruni e Helena Christiansen. Desde então, já pisou as mais importantes passerelles do mundo, continuando a exportar os maiores ativos da Moda nacional, como de resto o noticiou a RTP.

Para o diretor de comunicação da ANJE, Rafael Alves Rocha, "a criação de uma nova identidade visual para o Portugal Fashion justificava-se pelo reposicionamento do evento. O Portugal Fashion é hoje eminentemente um evento internacional, cosmopolita e multicultural, havendo a necessidade de refletir esta nova postura institucional na sua imagem gráfica”, pensamento aliás que partilhou com o programa Imagens de Marca da SIC Notícias.

Também neste curto vídeo, elucidativo do exercício conceptual que conduziu até ao resultado gráfico da nova identidade, entende-se bem a evolução e a necessidade do projeto se afirmar pela via de uma nova imagem. Um desafio vencedor, a julgar por alguns testemunhos recolhidos pela SIC Mulher, a propósito de um num programa alargado sobre esta edição. Anabela Baldaque diz que o novo logotipo transmite "uma atitude de força” e, ao mesmo tempo, "uma modernidade quase intemporal”. Carla Pontes refere-o como mais "moderno e intemporal”. Susana Bettencourt considera que esta nova identidade visual é a representação de uma ótima fase que o projeto atravessa. Carlos Gil considera-o "perfeito”, Hugo Costa acredita que as "marcas atualizam-se, os projetos crescem e o Portugal Fashion também”, e o jovem designer Alexandre Marrafeiro, dos K L A R, afirma que a nova identidade gráfica "melhorou muito”.

Um conceito que abre novos caminhos para a moda nacional

De acordo com a Creation, o conceito subjacente à nova marca procura transmitir "um desfile de texturas e de olhares que se aglomeram entre compassos e batidas”. Na verdade, as duas linhas estrategicamente colocadas entre o lettering do logotipo simbolizam a passadeira, o palco, a passerelle, "um desfile de sentidos e emoções que definem os caminhos da moda em Portugal unificados num chão que se pisa”.

Ora para a agência criativa esta era uma condição fundamental, tendo em conta que um dos objetivos do Portugal Fashion é "a promoção dos criadores numa perspetiva de negócio sustentável”, sem ignorar um posicionamento mais global. Neste sentido, "a nova marca teria definitivamente de respirar elegância, modernidade e ser um ícone de cosmopolitismo”.

Espaço Bloom também reformula a imagem

A identidade gráfica da plataforma Bloom, dedicada ao lançamento de novos designers, também foi integralmente redesenhada pelo designer Moountain. Inspirada no ciclo das estações do ano (outono, inverno, primavera e verão), a nova imagem gráfica do Bloom espelha a sazonalidade do fenómeno Moda. Importa referir que, em português, Bloom significa florescer, dar flor, resplandecer. Neste quadro de sugestões, o designer Moountain propôs "um jogo de quatro variações de logotipo”, à semelhança das quatro épocas do ano. No logotipo é transmitido "o dinamismo, a inventividade, a criatividade e a vibração” que caracterizam esta forma de arte.    

Segundo Rafael Alves Rocha, "havia que dar uma identidade visual ao Bloom que espelhasse a forma como o projeto se autonomizou em relação à marca Portugal Fashion. Hoje, o Bloom goza de uma certa autonomia funcional, conceptual e estética, que lhe permite, por exemplo, ter um calendário próprio no 39.º Portugal Fashion”, explica o mesmo responsável.

No fundo, uma nova linguagem visual, mais adequada à vertente internacional do projeto, para um nome que se mantém: Portugal Fashion.