FacebookTwitterInstagramVimeoPinterest
Portugal Fashion regressou a Itália para segunda participação consecutiva na Altaroma
Portugal Fashion regressou a Itália para segunda participação consecutiva na Altaroma

Concretizou-se na Altaroma a terceira iniciativa do roteiro internacional do Portugal Fashion para o primeiro trimestre de 2017. O regresso fez-se com os jovens designers Estelita Mendonça e Susana Bettencourt, e a marca nacional Pé de Chumbo. Na verdade, entre os participantes, Estelita Mendonça foi o único que pela primeira vez pisou a passerelle do certame de moda italiana, com criações exclusivas para o segmento masculino. Por seu turno, as criadoras Susana Bettencourt e Alexandra Oliveira, designer e mentora da marca Pé de Chumbo, regressaram à Altaroma após a première na edição de julho de 2016, com o apoio do Portugal Fashion. A apresentação das coleções outono/inverno 2017-18 realizou-se no polo cultural Guido Reni District, no dia 27 de janeiro, seguindo o formato de desfile coletivo. Consolidou-se assim a estratégia de internacionalização do Portugal Fashion com o reforço das ações em solo italiano, território verdadeiramente influente no panorama da indústria têxtil mundial e, por essa razão, uma aposta válida na promoção da etiqueta made in Portugal.

"Começando por recordar que o arranque da nova temporada iniciou, precisamente, com a estreia do Portugal Fashion na Semana de Moda Masculina de Milão, podemos, com confiança, afirmar que a consolidação do projeto de internacionalização da moda portuguesa no mercado italiano sobe, nesta temporada, mais um degrau”, assegura o diretor de comunicação do Portugal Fashion, Rafael Alves Rocha. "Sobre o regresso à Altaroma três considerações. A primeira, relacionada com a estreia do jovem designer Estelita Mendonça no certame, que aconteceu após um ano em que, claramente, consolidou a sua presença em diferentes cenários internacionais, quer através da menção honrosa granjeada no âmbito da International Fashion Showcase, em fevereiro de 2016, ou ainda por via da participação da marca na London Fashion Week e na Paris Fashion Week, em formato showroom. Depois, salientar o papel da Altaroma na promoção de jovens designers de toda a Europa, e o orgulho que nos motiva poder integrar o restrito programa do Fashion Hub”, completando que "Tratando-se Itália de um dos principais centros mundiais da indústria da moda, e a Altaroma uma das iniciativas a considerar no circuito high fashion, só faz sentido para o Portugal Fashion internacional estabelecer uma colaboração duradoura e profícua com o projeto de moda italiana”. De acordo com o mesmo responsável, "no balanço final, importa ao Portugal Fashion saber que exerceu um papel ativo na dinamização deste emergente setor da economia portuguesa, conferindo-lhe visibilidade e oportunidades de negócio no radar internacional”.

Três coleções, um desfile e as tendências para o próximo inverno colocadas a descoberto

O jovem designer Estelita Mendonça que, pela primeira vez, pisou a passerelle de Roma, volta a apropriar-se dos seus coordenados para transmitir uma mensagem social e interventiva. Na senda da crise dos refugiados, temática recorrentemente abordada nas últimas coleções de Estelita, o criador reforça nesta coleção para Homem a aposta nos materiais reciclados: "as capas-cobertores são desenvolvidas a partir de desperdícios de algodão, e os sacos-cama são reprocessados”, através da junção de vários materiais, procurando imprimir uma ideia de movimento constante e de viagem. Para a coleção outono/inverno 2017-18, Estelita Mendonça contou com a colaboração do designer Eduardo Vascov na criação de vários logotipos, presentes em diversas peças, símbolos de outras crises que assolam o mundo: "O Brexit, a eleição de Donald Trump, a crise social e política na Rússia, e o impeachement presidencial no Brasil”. Transportando todos estes temas para os coordenados, o jovem designer pretende despertar a consciência cívica e social da sua geração. Por essa razão, a silhueta de Estelita Mendonça adota o "street style, numa versão mais descontraída e livre”, direcionada a um target jovem.

Estabelecendo também como fio condutor a coleção precedente, as novas propostas de Susana Bettencourt recebem inspirações daquele que é o seu playground na vida adulta: a rede social Instagram. Para WEAR’ART, a jovem designer estabelece uma profícua colaboração com a instagrammer @alyssarosev, que lhe aponta novos caminhos "na conceção de um novo mundo geométrico impactante”. O efeito dominó próprio desta rede social conduz a criadora a explorar outras contas de Instagram, e a descobrir novos movimentos artísticos como o "Elliptical Field, Site of Riverside Destiny Park”, em Tóquio, e o "Dick Bruna’s House”, no Centraal Museum of Utrecht. É pois a vez de Susana Bettencourt, ela própria, criar uma nova corrente artística através da sua coleção que, uma vez mais, evidencia a sua predileção pelo knitwear, cruzando a tecnologia com o handmade, de resto uma característica basilar da marca.

A Pé de Chumbo, da designer Alexandra Oliveira, desenvolveu para a próxima estação fria uma coleção que se desdobra em três temas distintos de tons, recebendo uma paleta de cores diversificada: "do preto até ao bege, passando pelo azul, verde e beringela com toques camel”. Para um look mais festivo, evidencia-se o brilho subtil presente nos rendados com folhos. E, completando a tríade, "jogos de lãs grossas num encanastrado de cores e riscas, que se misturam com camisolões e vestidos soltos em tiras de malha, para usar descontraidamente”, são as propostas para o tema casual.

O Portugal Fashion 2015-2017 - um projeto da responsabilidade da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, desenvolvido em parceria com a ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal – é financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, com fundos provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.